Partes “dispensáveis” do ser humano

Charles Darwin escreveu uma vez que todas as espécies evoluem ao longo do tempo. E parece que, no caso da evolução humana, vai prosseguindo a passo firme. Tanto que existem dez partes do nosso corpo que mal usamos e que poderiam começar a desaparecer.

Não é um ato de magia ou um mero capricho “evolutivo”. Como o tempo avança e as condições ambientais em que vivemos estão a mudar, todos os dias temos mais facilidades, alimentos, roupas, que fazem o nosso corpo não precisar de alguns componentes para sobreviver.

Quais são essas partes “dispensáveis” no nosso corpo? Fique a saber.

O dedo mindinho do pé

Quantas vezes você se aleija neste dedo na ponta da cama? É uma das piores dores que podemos sentir, não é mesmo?. Este dedo mindinho não é essencial para mantermos o equilíbrio do corpo. Ao longo dos anos, este dedinho foi reduzindo o seu tamanho, de modo que a sua função também está a encolher.O dedo essencial para evitar uma queda, por exemplo, é dedo grande do pé.

Dentes do siso

São muitos de nós que já tiveram de se submeter a uma extração dolorosa destes dentes, que se chamam oficialmentede dentes do siso ou terceiros molares. A realidade é que durante milhares de anos o homem estava acostumado a comer ossos, carne crua e alimentos mais rústicos e os dentes do siso foram vitais para os triturar. A realidade é que, hoje em dia, os nossos hábitos alimentares mudaram e não precisamos mais destes dentes.

Apêndice

Este é um grande problema para muitas pessoas que acordam ao meio da noite com uma grande dor na sua virilha direita. Uma operação de emergência resulta, geralmente, na remoção do apêndice. A principal função deste órgão do nosso corpo era a de digerir a celulose das plantas que os nossos antepassados ​​herbívoros comeram. No entanto, atualmente há muita discussão no meio científico sobre a verdadeira função deste órgão, que só se salienta quando ocorre a apendicite.

Cóccix

Há muitos anos atrás, quando andávamos todos de quatro, o cóccix foi um dos principais ossos do nosso corpo. No entanto, hoje o cóccix torna-se completamente desnecessário, a tal ponto que, durante a gravidez, o cóccix do bebé cresce apenas até à oitava semana de gestação.

Músculos eretores do pêlo

Quando o homem habitou a Terra sem muita proteção corporal ou “roupagem”, o pêlo do seu corpo era muito mais espesso do que hoje. Os músculos eretores faziam com que, numa situação de calor, frio ou risco, os pêlos se eriçassem, protegendo dessa forma, todo o corpo. Como as condições atuais são diferentes, possivelmente estes músculos poderão desaparecer.

Músculo palmar

Se você não sabe o que é este músculo, não se preocupe porque quase não precisa de o usar. O músculo vai do cotovelo até ao punho e era usado para escaladas. Um estudo descobriu que cerca 11 por cento da população mundial já não o tem no corpo.

Costelas do pescoço

São das mais antigas desta lista. Apenas 1 por cento da população mundial possui as costelas do pescoço. São um grupo de costelas cervicais, segundo se sabe, são resquícios da Era dos Répteis.

 

Ponto de Darwin ou tubérculo

Este é um pequeno pedaço de pele extra nas orelhas que poderia ser um resíduo de uma formação de pele mais extensa que foi útil para ouvir sons distantes.

13ª costela

Thalia é uma cantora mexicana muito conhecida no seu país que removeu esta costela porque acreditava que a fazia ter uma cintura mais acentuada. Deve ter sido a única porque este osso tem caído em desuso. Há ainda 8% de pessoas que têm 14 costelas, tal como os chimpanzés e gorilas.

 

Músculo subclávio

Mais um músculo que permanece dos nossos tempos em que andávamos de quatro. É um músculo que fica abaixo do ombro e que vai desde a primeira costela até a clavícula.


Sobre reitigre

Tigre, tigre, brilho incandescente dentro das florestas à noite Que imortais mãos ou olhos Poderiam moldar tão temível simetria? Em que distante profundezas ou céus Queimam o fogo dos teus olhos? Em que asas veio essa chama? Que mãos ousam tocar nesse fogo? E qual ombro e qual arte? Poderia mudar as fibras do teu coração? E quando teu coração começou a bater Qual horrível mão teria forjado seus pavorosos pés? Qual martelo? Qual corrente? Em que fornalha estava teu cérebro? Que bigorna? Que terrível abraço Ousou conter teu horrível terror? E quando as estrelas desferiram seus raios, e inundaram os céus com as lágrimas delas, Ele sorriu por Seu trabalho ver? Aquele que criou o cordeiro também Te fez? Tigre, tigre, brilho incandescente dentro das florestas à noite Que imortais mãos ou olhos Ousaram moldar tão temível simetria?
Esse post foi publicado em Ciências e marcado . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s